Sirva-se: doses de autocuidado

segunda-feira, agosto 05, 2019

A imagem mostra quatro peças de madeira com letras inscritas. As peças formam a palavra "LOVE". Ao lado das peças, um pequeno coração vermelho feito de arame.

Ando lendo sobre autocuidado por aí, e percebo o quanto essa palavra hoje está na moda. Acredito ser uma coisa positiva, considerando que a gente vive em um mundo repleto de estímulos e informações para todos os lados, além de cobranças exageradas sobre qualquer coisa e uma pressão para manter um estilo de vida que quase ninguém consegue. Chega a ser engraçado: somos a geração com a maior tecnologia desenvolvida, tecnologia que, em teoria, deveria tornar nossa vida mais fácil, e ainda assim vivemos reclamando da falta de tempo. Insônia, depressão, ansiedade... quem nunca ouviu que doenças mentais são o mal do século? Não acho que seja por acaso que o termo "autocuidado" esteja se popularizando: a gente quer uma resposta para tanta angústia. 

Preciso ser honesta: tenho ressalvas quanto ao "autocuidado" que vejo por aí. Não é novidade que, se algo se torna popular, também aparecem aqueles que tentam lucrar em cima disso. Aconteceu com o mindfullnes (técnica de meditação) e acontece também com o autocuidado: produtos para cuidado da pele, aulas de ioga, de meditação, chás e ervas, livros de colorir, hidrante pro cabelo, cristais de energia, enfim... como se autocuidado se resumisse somente a estética. Claro que pode passar pela estética, e tudo isso é importante, mas as coisas vão um pouco além. Autocuidado envolve muito mais do que uma rotina de skincare. E não é algo que você possa simplesmente tirar um tempo para "fazer" um autocuidado. Autocuidado, ao menos na forma como vejo, é uma forma de se relacionar com si. Sei que a frase ficou estranha, mas é isso aí: manter uma boa relação consigo mesmo. Passa pela compreensão, paciência, pelo carinho e cuidado com si mesmo. E eu sei que não é fácil, não nos ensinam a fazer isso. Aprendemos a criar insatisfações com cada aspecto de nós e a entrar em guerra para mudar isso. Manter uma boa relação com si próprio não é só saudável, é libertador. 

Autocuidado, mais do que ter a pele livre de espinhas (o que não é ruim, inclusive quem me dera) é entender que você é um ser humano. E um ser humano tem imperfeições, dificuldades, desafios, mas também tem qualidades, tem força, tem capacidade de inventar e reinventar... Conhecer e respeitar tudo isso. Entender que temos limitações físicas, psicológicas, sociais... Que existem barreiras que não conseguimos ultrapassar hoje, mas podemos continuar tentando amanhã, ou que talvez esse nem seja o caminho, melhor mesmo seria desviar a rota, ir para outro lugar. Ter paciência quando não conseguimos fazer o que queríamos, ou quando algo não sai como esperado. Compreender que ninguém é um robô e que às vezes falta energia, vontade, ânimo, e que tá tudo bem. Mas não parar aí. Exercitar a criatividade: o que fazer pra contornar isso? Sem culpa, sem remorso. Ninguém vai perder a carteirinha da autoestima e good vibes se passar um dia não se sentindo bem. A vida tem disso: altos e baixos. 

Fazer o exercício de não se comparar com outras pessoas. E, se acontecer de se comparar, lembrar que a outra pessoa é a outra pessoa, com a vida dela, com o tempo dela. Eu sou eu, você é você, cada um com sua caminhada, não é uma competição. Da mesma forma que a outra pessoa tem qualidades que eu admiro, eu também tenho qualidades para se admirar. Assim como feitos e conquistas. Buscar olhar e aceitar essas coisas boas. Isso também é autocuidado. 

Vale também para o amor próprio, autoestima. Porque até isso virou uma cobrança: "você precisa se amar, ou ninguém vai fazer isso por você". Novamente, é preciso paciência. Ninguém se ama da noite pro dia. Nem tem um estalo e passa a se amar. É um exercício diário, constante, e nada é eterno. Exercitar o amor próprio, um dia de cada vez, e fazer a manutenção disso, faz parte do autocuidado. Tipo cultivar uma planta: primeiro se enterra a semente, e com cuidado, tempo e paciência, a semente vira árvore e um dia dá frutos. 

E é claro que tudo isso também vai passar pelo cuidado com o corpo. Porque, veja bem, nós somos um corpo. Independente da crença, se existe ou não uma alma, enquanto você estiver aqui na Terra, no mundo material, você é um corpo. Não dá pra deixar esse corpo de lado e ir vestir outro, seria interessante, mas não dá. Por isso a importância de se cuidar do corpo. Não só a aparência desse corpo (apesar de também poder envolver isso), mas todas as suas necessidades. Meus exames estão em dia? Estou me alimentando bem? Minha saúde está boa? Tenho descansado o suficiente? Tenho agredido meu corpo de alguma forma? Tenho respeitado meu tempo? Tenho respeitado que meu corpo é meu corpo, e não o daquela pessoa? Como tratar esse corpo com carinho? Como cuidar para que eu tenho orgulho de habitá-lo? Uma vez que eu sou meu corpo, e você o seu, cuidar do corpo é cuidar de si, é autocuidado. 

Sei que vai na contramão de muita coisa. Porque aprendemos que não se deve parar, não se pode desanimar. Todo dia precisa ser produtivo. Todo dia precisa ser um bom dia "quem faz o dia bonito é você". Temos que ser melhores que aquelas pessoas, ter o que os outros tem (ou até mais), mudar essa e aquela característica em nós. "Tudo depende de você". Mas esse pensamento nos adoece. E é preciso muito autocuidado para não adoecer. Como eu disse, não é fácil, mas é libertador. Você já cuidou de si hoje? 

Você também pode gostar

12 comentários

  1. Realmente, a depressão, ansiedade e estresse é o mau do século! Sofro dos três, inclusive estou tendo que aprender a me cuidar par sair da depressão. É bem difícil fazer esse esforço (ao menos para mim), mas desde que dei os primeiros passos, ando seguindo nessa caminhada, firme e forte (embora as recaídas). Não é nada fácil, mas sem dúvidas é preciso.
    Beijos,
    Mundo Perdido da Carol
    Instagram: @carolinsweet
    Fan Page

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi Carol! Sinto muito por isso, é realmente difícil lidar com um transtorno mental, ainda mais quando se "acumulam" dessa forma. Espero que você fique bem! Boa sorte na caminhada, dar os primeiros passos já é muita coisa <3

      Excluir
  2. Oi, Marina como vai? Que texto incrível e também muitíssimo realista não é mesmo? Depressão, ansiedade e estresse são causas angustiantes para qualquer tipo de pessoa, independente de classe social, religião, partido político, grau de escolaridade e outras coisas mais. É triste ver que muitas pessoas sofrem com isso. No meu ponto de vista a tecnologia tem muita influência nisso, visto que, a maior parte da população hoje em dia vive em prol da internet, esse comportamento certamente causará algum tipo de distúrbio em algumas pessoas como o estresse, ansiedade e também a depressão. Mas enquanto existirmos como uma raça, a raça humana sempre estará sujeita à esse tipo de desajuste. Adorei o seu texto, parabéns e um forte abraço!

    https://lucianootacianopensamentosolto.blogspot.com

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi Luciano!

      infelizmente depressão, ansiedade e outros não escolhe quem vai afetar. Mas a gente também pode fazer algumas coisas pra evitar isso. Como você disse, se a tecnologia acaba afetando nossa saúde, fica nas nossas mãos encontrar um meio de usufruir da tecnologia mas sem perder a saúde com isso

      Obrigada pelo comentário!

      Excluir
  3. Oi Marina, tudo bem?
    Oh, quem me dera me ver livre das espinhas também, mas com o tempo acabei percebendo que elas incomodam mais os outros do que eu mesma e acabei me preocupando menos com isso.
    Faz meses que estou com uma desmotivação gigantesca. Depois que minha vida "empacou" (leia: terminei a escola/faculdade, mas não arrumei emprego, casamento, nem filho/s, ou seja, não consegui seguir o roteiro da vida) passei muito tempo deitada na cama assistindo vídeos sem querer nada com nada. Por milagre, ou uma força que tirei não sei de onde consegui voltar ao blog e agora até a escrever minha fanfic de Harry Potter que pretendo começar a postar dia 1º de Setembro. Ainda acho que "falhei" nas expectativas dos meus pais (apesar deles nunca me falarem isso), mas pelo menos minha vida não está mais tão parada. Estou melhorando aos poucos.

    Amiga, só um toque. Quando cliquei no link que você deixou no meu blog, não consegui chegar aqui. Vai parar em uma página aleatória sem nada. Precisei abrir seu perfil do blogger e vir por lá. Não sei se foi erro no meu navegador ou no seu link. Espero que tenha sido um bug passageiro.

    Até mais;
    |Mente Hipercriativa (Blog) | Mente Hipercriativa (Fanpage)|

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi Helaina!

      Eu tenho espinhas também, achei que sumiriam com o tempo mas fui enganada rs Não somem depois de adulta

      Que bom que conseguiu voltar com o blog e seus projetos. Eu também estou voltando aos poucos. Às vezes sumo mas estou sempre pensando no que fazer e em como voltar

      Eu vi o que tinha de errado e já arrumei, obrigada pelo aviso!

      Excluir
  4. Que coisa mais linda e importante! É tão complicado (e tão fundamental) fazer esse equilíbrio entre corpo e mente - lembrando que a saúde de um afeta o outro. Não tenho cuidado tanto do meu corpo e isso reflete em tudo. Obrigada por tanta inspiração.

    semquases.com

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Espero que consiga cuidar do seu corpo tanto quanto você gostaria ♥

      Excluir
  5. Menina, eu venho pensando muito nesse tipo de coisa. Se cuidar é algo muito profundo, que envolve não só o exterior, mas também questões internas (como aprender a dizer não, por exemplo). Gostei muito do modo como você trouxe essa reflexão para cá.

    Um beijo,
    Fernanda Rodrigues | contato@algumasobservacoes.com
    Algumas Observações
    Projeto Escrita Criativa

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Aprender não é uma coisa difícil ne? Tenho dificuldade também, principalmente com pessoas queridas. Mas aos poucos a gente vai vencendo esses obstáculos ♥

      Excluir
  6. Boa noite, Mari!!
    Estamos vivendo em tempos tão difíceis, onde é cada vez mais necessário cuidar da nossa saúde mental. Gosto muito dos seus posts sobre esse assunto.
    Ah, mandei um e-mail para você recentemente.

    Beijos!
    Preguiça Literária

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Obrigada Lorena!

      Eu recebi seu email, vou responder logo logo. Obrigada pelo carinho ♥

      Excluir

Leio tudo com carinho e respondo sempre que posso. Não escreva aquilo que você não gostaria de ler ♥ Para dúvidas ou sugestões use a página de contato;

No mais, agradeço o comentário e a visita. Volte sempre! ♥

Arquivo do blog

Publicidade